0

O MENINO DE PIJAMA

Belíssima, poética e encantadora resenha do livro “O Menino de Pijama” elaborada por Félix Araújo Filho, advogado consagrado, jurista respeitado, acima de tudo, amante da literatura e dos livros.

“O Menino De Pijama”: A liberdade de sonhar juntos
                                Félix Araujo Filho*
 
Esta é uma história de sobreposição de sonho e realidade, escrita a quatro mãos. Filho e pai – Gabriel Thel Steinmuller Farias e Thélio Queiroz de Farias – fundem-se num mesmo hemisfério ficcional e se fazem um para vivenciar, imaginar e narrar o que, numa manhã de verão, eclode, surpreende, emociona e os leva àquelas dimensões que só interessam a quem não recusa a fascinante experiência da criação. “O menino de Pijama” nasce, pois, da liberdade de sonhar juntos.
 
No livro, um menino acorda e, de pijama, resolver aventurar-se na praia. A vestimenta, conquanto inadequada ao ambiente real, adéqua-se a outras coordenadas do encontrar-se, do descobrir-se. O pijama, portanto, protagoniza um elemento referencial de antagonismo à convencionalidade. É base para o desenvolvimento do enredo a sugerir, de algum modo, rompimento com o formalismo nímio que, até entre siris e sargaços, não se contém e se pronuncia para prescrever normas inservíveis.
   
O pijama, como o próprio personagem/autor explica, “para não interromper os sonhos”, presta-se não só para dormir, mas para não acordar. É a indumentária de transgredir o comum para prosseguir sonhando e navegar nos seus sonhos. Este, aliás, o primordial compromisso com o fazer literário ficcional, que em Gabriel Thel Steinmuller Farias parece despertar bem cedo, alvorejando à beira beira-mar, entre ondas matinais e espumas brancas em que sorriem cristais de sol. Nesse mister, o jovem escritor mostra-se indiferente aos que não sabem sobre os outros que sonham. Decidido, projeta-se no menino de pijama e flutua, “de roupa e tudo”, na sua fração de mar para então mergulhar nas artes da palavra. Sem embaraços  ou hesitações, livre, fiel ao seu tempo e experimentações, dialoga com catedrais de areia, azuis atlânticos, ardilosos vendedores de picolé, madames com suas insolências dominicais e outras acidentalidades comuns à costa tropical de um valioso universo criativo.   
 
A Thélio Queiroz de Farias coube, por assim dizer, o encalço estenográfico da sucessão das cenas protagonizadas por Gabriel, de modo a possibilitar fossem convertidas em páginas de uma manhã. É certo que capturou tudo com a caneta paternal. Entretanto, fê-lo ao rigor de uma visada serena e equidistante entre o narrador/observador e o objeto da narrativa, acentuando impressões segundo seletivas e mediadoras intervenções no corpo textual. A Gabriel deve-se a centralidade da obra que ele compõe percorrendo, alternadamente, as faces do triedro realidade-representação-criação, com a espontaneidade lúdica de suas aspirações e mediante a sobreimpressão personagem/autor.
 
Assim, compreende-se a tessitura compartilhada dos componentes temático e formais da narrativa em foco. E aqui, há que se dar uma nota muito especial: a que confere méritos à tutela consciente e construtiva do estímulo literário àqueles cujas asas, embora ainda no ninho, já ruflam prognósticos para os altos voos.
 
“O menino de Pijama” não é um livro sobre folguedos feriais. É – isto sim! – uma primorosa, alegre e sutil reflexão sobre o quanto nos pode enternecer a beleza em volta. Fala-se, aqui, da beleza que, de súbito, contagia e, indelével, invade a alma com a luz de certa aurora arrebatadora, mas que só se absorve e compreende quando a perspectiva dos sentidos é o horizonte da liberdade de ser. É como molhar-se de pijama; como ir para além dos padrões e fazer dessa liberdade a vestimenta de despertar irreverentemente feliz. É um livro para infâncias totalizadas em almas que as têm ou que ainda poderão tê-las.
___________________
* Advogado  e  professor

VENDAS: Envie um e-mail para livros_e_leitura@hotmail.com OU deixe um comentário com seu e-mail que entraremos em contato OU  vendas na Livraria Nobel da Cidade de Campina Grande.

Em breve também teremos vendas através da internet.

2

LEITURAS JULHO 2016

 

Olá leitores,

Estou de volta com minhas resenhas (breves), particularmente não gosto de longas resenhas, muitas vezes por serem tão detalhadas acabam por adentrar muito no enredo, se leio muito sobre o livro crio expectativas elevadas.

Gosto de registrar minhas impressões e deixar a cargo do leitor formar sua própria opinião sobre o livro, já que gosto literário não se discute. 🙂

 

LIVRO 34

Adoro livros de crônicas, não conhecia o estilo literário de Tati Bernardi.

Na minha opinião foi uma leitura morna, não me empolguei muito durante a leitura. Acho que criei muita expectativa, pois ao ler a sinopse achei que seria muito engraçado.

O estilo que ela narra é bem sem papas na língua, o livro aborda sua dependências por remédios, seu pânico de avião, crises de ansiedade, manias, casos amorosos, etc.

Para quem possui algumas das características da escritora, com  certeza irá se identificar e adorar a narrativa.

 

LIVRO 35

 

Um livro muito elogiado que recebi da Tag Livros. O interessante foi a experiência de ler um título e autor que eu não conhecia, e que provavelmente poderia passar despercebido nas prateleiras.

Desonra foi considerado um dos cem melhores livros escritos em língua inglesa de todos os tempos pelo respeitado jornal The Guardian, de Londres.

Seu autor, o sul-africano J.M Coetzee recebeu todos os prêmios literários possíveis (primeiro autor a vencer duas vezes o Booker Prize), dentre eles o glorioso Prêmio Nobel de Literatura de 2003.

O livro conta a história do professor de literatura David Lurie, da Universidade do Cabo, que passa a ser acusado pela própria instituição de ter um caso forçado com uma aluna. Por ter a consciência limpa, resolve não se defender, aceitando a sua demissão. Desempregado, viaja para fazenda da filha Lucy, para ajudá-la, com esperança de encontrar tempo para escrever sobre Lord Byron, de quem é especialista. Na trama do livro, Coetzee apresenta uma realidade pós-apartheid da África do Sul, num livro envolvente e extremamente bem escrito.

Consegui extrair várias reflexões e trechos do livro.

Como disse o jornal Sunday Telegraph:

“Desonra explora ao máximo o que significa ser humano, e está na linha de frente da literatura mundial”.

Gif livro

“Não existe nenhuma vida elevada . A única vida que existe é esta aqui.”

“O crânio, depois o temperamento: as duas partes mais duras do corpo.”

“Outro tipo de vida? Eu não sabia que a vida vem em tipos.”

“A vingança é como um fogo. Quanto mais devora, mais quer devorar.”

 

LIVRO 36

 

“Tromba Tromba” é uma lúdica história infantil.

O livro fala sobre elefantes pretos e elefantes brancos, os mesmos amavam todos os animais,mas se odiavam. Os elefantes pacifistas de todos os lados (brancos e pretos) vão viver no fundo da selva e os outros se matam mutuamente. Após muito tempo, aparecem os elefantes cinzas. A história é simples e singela, como todos os bons livros, e nos faz pensar nos humanos e seus preconceitos de cor, raça, religião etc. É um livro que nos deixa uma lição: “viva a diferença!”

Li e Recomendo. Uma linda obra que transmite uma grande lição.

 

LIVRO 37

 

O livro foi um presente de um amigo que sabe que adoro o tema.

Já li diversos livros que abordam o Holocausto, os campos de concentração, os sofrimentos que os judeus passaram durante essa época traumática e cruel da humanidade..

Porém, nunca tinha lido um livro abordando o depoimento de uma Italiana.

Liliana é uma jovem garota judia que nunca poderia ter imaginado que iria passar por momentos tão tristes e dramáticos na sua vida. Ela narra seu dia a dia no campo de concentração, os momentos em que pensou em desistir, os momentos em que se apegou a vontade de viver – sobreviver – . Também transmite lições de amor à vida e superação. Liliana foi uma das sobreviventes da “marcha da morte”. Uma incrível história.

Uma excelente leitura.

Uma dica para quem se interessar pelo livro: logo após finalizar pesquisei na internet entrevistas com a escritora, assisti e adorei.

 

E VAMOS continuar LENDO!

 

f6691-coruja_lendo

 

 
 

 

 

 

0

Dica de Livro Infantil

 TROMBA TROMBA – David McKee

 

Sou uma grande fã e admiradora de obras infantis, tenho dois filhos, hoje já crescidos ( 17 e 12 anos ) e sempre que os presenteava com livros, amava ler junto. Até hoje leio e releio livros infantis.

Sempre me perguntam: você recomenda para qual idade? e minha resposta é: para todas as idades! Se a criança for bem pequena, nada mais delicioso do que ler junto, mostrando as ilustrações e despertando sua imaginação e o gosto pela leitura, se já for alfabetizada, a criança pode se deliciar curtindo cada palavrinha, e sendo uma criança “crescida” – meu caso – irá ler e fazer uma interpretação com outros olhos.

 

 

“Tromba Tromba” é uma lúdica história infantil.

O livro fala sobre elefantes pretos e elefantes brancos, os mesmos amavam todos os animais,mas se odiavam. Os elefantes pacifistas de todos os lados (brancos e pretos) vão viver no fundo da selva e os outros se matam mutuamente. Após muito tempo, aparecem os elefantes cinzas. A história é simples e singela, como todos os bons livros, e nos faz pensar nos humanos e seus preconceitos de cor, raça, religião etc. É um livro que nos deixa uma lição: “viva a diferença!”

Li e Recomendo. Uma linda obra que transmite uma grande lição.

 

Site da Editora

http://www.zahar.com.br/pequenazahar

 

 

Carol Steinmuller

Reading:

2

LEITURAS JUNHO 2016

LIVRO 29

Ler Saramago é sempre um desafio, começando pela maneira que ele escreve: sem parágrafos, sem travessão, com pouca pontuação, ou seja, de um fôlego só.

Cansada de ser detestada pela humanidade a morte resolve fazer greve, abandona seu cajado e determina: “ninguém morre” e observa as consequências de tamanha ousadia.

Durante o período da ‘cessação” da morte surgem vários problemas políticos, religiosos, éticos, morais, crise nas funerárias, nas companhias de seguros e até na igreja.

“Se acabasse a morte não poderia haver ressurreição, e não havendo ressurreição, então não teria sentido haver igreja.”

É um desenrolar bastante reflexivo, repleto de discussões morais.

“As pessoas dizem coisas à toa, lançam palavras à aventura e não lhes passa pela cabeça pensar nas consequências.”

Houve um momento da leitura que achei cansativa, abandonei um pouco, depois retornei e consegui finalizar. Gostei bastante da parte que a morte demonstra um lado “humano”, onde deixa transparecer seus sentimentos.

Não achei uma leitura fácil, é densa. Porém ,sempre tenho uma ótima sensação após finalizar livros de Saramago.

LIVRO 30

 

Ainda não li o tão famoso”Livro do Desassossego”, está na minha infindável lista.

Com esta leitura senti o gostinho maravilhoso das belas e encantadoras palavras do grande poeta Fernando Pessoa.

Dispensa comentários e apresentações, Fernando Pessoa é simplesmente INCRÍVEL e GENIAL.

Comprei o livro em Portugal, na casa de Fernando Pessoa, não sei se no Brasil lançaram uma edição. :/

LIVRO 31

 

Quem tem filhos, sobrinhos, primos, ou quem convive com crianças se encanta com os diálogos pra lá de sinceros e engraçados dos pequenos.

Uma mãe – Silvana de Oliveira – resolveu eternizar de uma belíssima maneira as “faladas” de sua peculiar Sofia.

Uma leitura leve, engraçada e encantadora. É possível ler em menos de uma hora, pois cada “falada” nos deixa mais curiosos em saber as próximas respostas da esperta Sofia.

Além das frases o livro possui belíssimas ilustrações, tornando ainda mais prazerosa a leitura.

Ao final ainda traz um espaço convidando os leitores para anotarem as “faladas” de crianças, seja filho, primo, sobrinho, enfim, uma bela maneira de alertar todos para anotarem e eternizarem as pérolas das crianças, que estão cada dia mais incríveis.

Além do ótimo conteúdo, o livro possui três opções de cores de capa, achei muito criativo.

Aprovadíssimo.

www.facebook.com/faladasdesofia

instagram @faladasdesofia

 

LIVRO 32

De imediato fiquei encantada com a belíssima capa, é um trabalho espantosamente belo! Uma sobrecapa com a cor verde água com texturas.

Gostei da forma que os poemas são apresentados: do jeito que foram enviados para impressão, com os erros e rabiscos.

Finalizei com gostinho de quero mais.

Amo poemas e poesias. Uma leitura fácil e muito rápida, li em vinte minutos.

 

LIVRO 33

 

Chocante, forte, comovente, REAL . Se não gosta de leituras com detalhes tristes e fortes não leia.

Eu sou alucinada por livros que narram histórias verídicas, sinto necessidade desse tipo de leitura, pois fico me colocando no lugar da pessoa, da família, e me envolvo com os sentimentos e sofrimentos da vítima.

Trata-se da narração do longo sequestro de duas meninas que passaram 10 (DEZ!) anos em cativeiro. O livro aborda a versão de Amanda e Gina, e descreve detalhes do horror que essas duas jovens sofreram durante longos anos. Tiveram sua juventude roubada, foram maltratadas, sofreram, porém como grande guerreiras SOBREVIVERAM para contar.

Li e adorei. Recomendo

 

E VAMOS LER!

f6691-coruja_lendo

 

 

 

 

 

2

LEITURAS FEVEREIRO 2016

Cumprindo minha promessa de colocar em dia minhas resenhas, eis minhas leituras  de fevereiro. (cumprindo atrasada, porém…antes tarde do que nunca)

LIVRO 7

Quando vi o título e a capa achei bem engraçado e inusitado, fiquei muito curiosa para ler. Achei que seria uma leitura bastante cômica.

Me surpreendi com a seriedade o livro, ele explica de forma bem humorada questões fundamentais da filosofia.

É um livro pequeno, porém profundo.

No início de cada capítulo sempre é apresentado um fundamento da filosofia e em seguida de maneira lúdica é exemplificado com uma piada e finalmente são explicadas questões inerentes ao tema filosófico abordado.

Recomendo para quem possui curiosidade em saber um pouco sobre filosofia.

Li e adorei.

Trechos que grifei:Gif livro

“Regra de ouro: “Faça aos outros aquilo que gostaríamos que fizessem com você.” (Pág 102)

“A palavra alemã ‘einfühlung’, quer dizer “sentir dentro”, ou empatia, foi usada por fenomologistas como Edmjndo Husserl para indicar um modo de conhecimento que procura penetrar na experiência de outra ser humano e saber e sentir o mundo do mesmo jeito que ela sente. Em outras palavras, vestir a camisa de outra pessoa. (Pág 93)

“Distinguir o bem e o mal é o território da ética. É também o que mantém ocupados os sacerdotes, – sábios e pais. Infelizmente, o que mais ocupa as crianças e o filósofos é perguntar aos sacerdotes, sábios e pais: “Por quê?” (pág 95)

 

LIVRO 8

Fernando Pessoa é inquestionável, neste pequeno livro são selecionados belos poemas do grande poeta com ilustrações. Um livro para se encantar com a sensibilidade ímpar do grande Pessoa. Uma leitura leve e inspiradora . Li e amei. Recomendo

Trechos que grifei:Gif livro

“Para ser grande, sê inteiro: nada Teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto é No mínimo que fazer. Assim em cada lago a lua toda Brilha, porque alta vive.”

LIVRO 9

Todos sabem que sou fã do Snoopy e de toda turma dos Peanuts, mais um livro fofo para coleção. Leio tudo relacionado aos “Peanuts”. Um livro meigo com ótimas tirinhas e ilustrações.

 

LIVRO 10

Sempre alterno minhas leituras com poesias e poemas e sou fã do poeta Manoel de Barros. Trata-se de uma antologia que reúne poemas de diversas fases do escritor.

Manoel de Barros possui uma linguagem única e uma maneira de “escrevinhar” incrível.

Trechos que grifei:Gif livro

“Há pessoas que se compõem de atos, ruídos, retratos. Outras de palavras.”(Pág 72)

“Me procurei a vida toda e não me achei – pelo que fui salvo.” (Pág 89)

“A sensatez me absurda. Os delírios verbais me terapeutam”(Pág 99)

“Posso fingir de outros, mas não posso fingir de mim.”(Pág 118)

“Noventa por cento do que escrevo é invenção; só dez por cento que é mentira”(Pág 118)

“A importância de uma coisa há de ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós”(Pág 152)

 

LIVRO 11

Não conhecia o autor, minha primeira leitura do escritor Georges Simenon, porém fiquei ansiosa para ler já que a sinopse e as críticas sobre o autor eram muito favoráveis

O enredo do livro gira em torno de um assassinato ocorrido a bordo da embarcação Ócean.

Achei um livro morno, fiquei na expectativa esperando um ápice, um momento emocionante, o que não ocorreu. Uma leitura monótona e um desfecho um pouco sem graça. Criei muita expectativa porém não achei uma obra grandiosa.

 

LIVRO 12

Outro com um título e capa bastante interessante, fiquei muito curiosa para ler mensagens trocadas por grandes nomes mundiais e seus personagens: Sherlock Holmes, Peter Pan, Hamlet, Edgar Alan Poe, Platão, Agatha Christie, Dom Quixote, Harry Potter, O Pequeno Príncipe, dentre outros.

Para achar engraçado os textos o leitor precisa saber detalhes dos personagens, confesso que em muitos precisei pesquisar para poder entender, ele aborda muitos escritores e histórias que eu desconhecia, tais como: Henry David Thoreau, William Faulkner…

Uma leitura leve e inusitada, sugiro antes da leitura fazer uma pesquisa breve sobre as figuras abordadas, desta forma o entendimento será mais proveitoso.

LIVRO 13

Mais um da minha querida turma, leitura de dez minutos, são quadrinhos que abordam o tema amor, este comprei na Espanha, por isso o título e quadrinhos estão todos em espanhol. Adoro visitar livrarias quando viajo e sempre adquiro livros em outras línguas.

LIVRO 14

Carpinejar sabe falar de amor brincando com as palavras, o livro possui diversas crônicas relacionadas ao tema que ele mais aborda: amor.

Para quem gosta de crônicas é uma boa pedida. Já li vários do autor e adorei.

Trechos que grifei:Gif livro

“Naquele tempo eu obedecia mais do que compreendia, hoje eu compreendo mais do que obedeço.” (Pág 17)

“E muitas vezes se afastar não é se despedir – é apenas sofrer, agora sozinho, a falta de entendimento” (Pág 47)

“Todas as palavras são estrelas cadentes. Prometer é sério, prometer é se comprometer”(Pág 114)

“A esperança é o que mais machuca. Não há maior tortura do que gerar esperança em vão: é oferecer para tirar”(Pág 114)

E vamos ler!

Carol  😉

4

LEITURAS 2015

Eis uma relação com todas as minhas leituras do ano de 2015. Como o ano foi corrido, estou atrasada com metade das resenhas. Sempre publico resenhas mensalmente de todos livros lido no período, podem procurar nos arquivos, irão encontrar diversas resenhas e recomendações.

Deixarei a lista e quem tiver interesse em saber mais sobre o livro, pode deixar comentários que responderei todos. E vamos ler!

1.  Peanuts Completo
2. Snoopy – Volume 1
3. Traçando Madri – Luis Fernando Verissimo
4. Traçando Japão – Luis Fernando Verissimo
5. As Aventuras de Tom Sawyer em Quadrinhos – Mark Twain
6. A Pequena Filosofia de Mafalda
7. Os Segredos de Colin Bridgerton – Julia Quinn
8. Frases Mal Ditas – Legrand
9. Filomena Firmeza – Patrick Modiano
10. Minha Vida Como Gueixa – Mineko Iwasaki
11. Uma Dose Mortal – Agatha Christie
12. O Tigre Na Sombra – Lya Luft
13. A Bibliotecária de Auschwitz – Antonio G. Iturbe
14. Lá e Aqui – Carolina Moreyra / Odilon Moraes
15. Procura-se Um Amor Que Goste De… – Thaís Aragão
16. Vincent – Barbara Stok
17. Hamlet ou Amleto – Rodrigo Lacerda
18. A Toda Prova – Harlan Coben
19. A Casa do Céu – Amanda Lindhout / Sara Corbett
20. O Ateneu – Raul Pompeia
21. Queda de Gigantes  – Ken Follett
22. Um Mais Um – Jojo Moyes
23.  Gelo Negro – Livro 3 da série “O Jovem Sherlock Holmes”
24. Você Conhece Steve Jobs – Pam Polack e Meg Belviso
25.  Você Conhece Walt Disney – Whitney Stewart
26.  Você Conhece Steven Spielberg – Stephanie Spinner
27.  O Monstro das 7 Bocas – Clotilde Tavares
28.  Pedro e o Lobo – Prokofiev – Ilustrado por Bono Vox
29. Perguntaram-me Se Acredito em Deus – Rubem Alves
30. Era Uma Vez Um Menino Chamado Augusto – Neide Medeiros Santos
31. Solombra – Cecília Meireles
32. O Doente Imaginário – Molière
33. Augusto dos Anjos em Quadrinhos – Jairo Cézar / Luyse Costa
34. Pedro Américo em Quadrinhos – Bruno Gaudêncio / Flaw Mendes
35. Inverno no Mundo – Ken Follett
36. Lições De Vida – Freud – Brett Kahr
37. Lições De Vida Nietzche – John Armstrong
38. Uma Porta Para Um Quarto Escuro – Antonio Cestaro
39. Te Adorar – Manuel Bandeira
40. Eu Tenho o Direito de Ser Criança – Alain Serres / Aurélia Fronty
41. Não Derrame o Leite – Stephen Davies / Christopher Corr
42. Mil Dias Em Veneza – Marlena de BLASI
43. Uma Vida Interrompida – Alice Sebold
44. Guia de Veneza – Ruy Araújo
45. Alice no País das Maravilhas – Lewis Carroll
46. A Condessa Sangrenta – Alejandra Pizarnik
46. Mario Prata Entrevista Uns Brasileiros – Mario Prata
47. Os Bebês de Auschwitz – Wendy Holden
48. Meu Livro de Cordel – Cora Coralina
49. Aventuras de Alice No País das Maravilhas – Lewis Carroll
50. E Então Paulette – Barbara Constantine
51. Millôr Fernandes – Essa cara não me é estranha e outros poemas
52. Chamo-me John Lennon – Carmen Gil / Luisa Vera
53. O Yark – Laurent Gapaillard /Bertrand Santini
54. Bibliotecas Do Mundo – Daniela Chindler
55. A Costureira de Dachau – Mary Chamberlain
56. Leonardo da Vinci – Crianças Famosas
57. Jorge Amado – Crianças Famosas
58. Só Por Hoje e Para Sempre – Renato Russo
59. Apaixonada por Histórias – Paula Pimenta
60. Terra Sonâmbula – Mia Couto
61. O Menino da Mala – Lene Kaaberbol / Agnete Friis
62. A Garota Sem Nome – Marina Chapman
63. Malala – A Menina Que Queria ir Para a Escola – Adriana Carranca
64. O Menino da Lista de Schindler – Leon Leyson / Marilyn J. Harran e Elisabeth B. Leyson
65. Primavera de Cão – Patrick Modiano
66. Educação dos Sentidos e Mais – Rubem Alves
67. Trita e Oito e Meio – Maria Ribeiro
68. A Vida Segundo Linus – VR Editora
69. Jackie – Uma Campeã Olímpica – Texto de Fabiana Barcinski e Rodrigo Lucena / Ilustrações de Guazzelli
70. O Mundo Segundo Lucy – VR Editora
 
 
 
2

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

   EDIÇÃO COMEMORATIVA ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

 

A Editora Zahar, em comemoração dos 150 anos do clássico que revolucionou gerações e até hoje encanta crianças, jovens e adultos, lançou uma edição comemorativa de luxo. A lombada é de tecido, a capa é dura, as ilustrações criadas pela renomada e premiada Adriana Pelino são de encher os olhos.

O que achei mais interessante foi a genial ideia de incorporar dois títulos em um só volume.

De um lado “Aventuras de Alice no País das Maravilhas”…

 

e é só virar o livro que o leitor se depara com “Através do Espelho e o Que Alice Encontrou por lá”

Um clássico mundial que adorei reler após tantos anos. Quando era criança li aqueles livrinhos mais resumidos, pequenos, cheios de gravuras. A figura de Alice, junto com seus personagens nada normais,  me levavam para além do mundo da imaginação.

Logo depois, com o lançamento do filme, onde a versão ganhou uma abordagem colorida, encantada,  engraçada,  o que guardei na memória e sempre associava era um mundo louco, colorido, onde tudo poderia acontecer. Tanto que até hoje quando alguém foge um pouco da realidade costuma-se dizer – “Está no mundo de ‘Alice no País das Maravilhas'”.

Agora relendo adentrei no âmago dos personagens, e percebi como muitos trechos, mesmo sendo escritos há 150 anos continuam atuais. Reparei mais nos diálogos e nas mensagens que os personagens transmitem.

O livro relata as aventuras de Alice, que após longas horas sentada na ribanceira ao lado da irmã, começa a ficar entediada, então ela resolve espiar um livro que estava lendo, sem muito interesse, pensando: “de que serve um livro, sem figuras e sem diálogos” . Já analiso o pensamento de Alice, ela estava precisando de aventuras, reais – ou não – para acender o gosto pela leitura (sem figuras).

Logo após passa correndo por ela um Coelho Branco, resmungando “estou atrasado, estou atrasado”. E foi aí que toda aventura iniciou, Alice instigada com os trajes do coelho, começou a persegui-lo.

Durante a aventura ela descobriu a poção mágica de crescimento, que tanto encolhia, como diminuía, encontrou uma lagarta fumadora de narguilé que lhe deu vários conselhos, cantou junto com uma tartaruga e um grifo, conheceu um sábio chapeleiro maluco, se surpreendeu com um gato cheio de artimanhas que desaparecia misteriosamente, desafiou a duquesa tentando argumentar de forma racional e ingênua todos os questionamentos. Enfim, a cada instante ela se depara com situações surreais.

Após vivenciar várias aventuras ela sente saudades de casa e deseja retornar para sua rotina…e só mergulhando nesta colorida, cômica e grande aventura, o leitor irá descobrir o caminho tomado pela pequena grande Alice.

A leitura flui deliciosamente, e ao longo das aventuras extraí várias passagens reflexivas.

Eis os trechos:

“Se cada um cuidasse de sua vida, o mundo giraria bem mais depressa” (pág.69)

“Explicações tomam um tempo medonho” (pág.177)

“Tudo tem uma moral, é questão de saber encontrá-la” (pág.101)

“Oh, é o amor, é o amor que faz o mundo girar. Alguém disse, Alice murmurou, “que ele gira quando cada um trata do que é da sua conta” (pág.103)

“Que isto lhe sirva de lição, nunca perca a sua calma!’ (pág.43)

“Como gostaria que as criaturas não se ofendessem tão facilmente!” (pág.60)

“Devia aprender a não fazer comentários pessoais, disse Alice com alguma severidade, “é muito indelicado.” (pág. 79)

“Se você conhecesse o Tempo tão bem como eu, disse o Chapeleiro, falaria dele com mais respeito” (pág. 81)

Sem dúvida alguma um verdadeiro presente para os fãs de Alice, bem como todas as crianças, jovens e adultos. Uma versão limitada e muito caprichada.

Segue algumas das belas ilustrações do livro:

Site da editora : Editora Zahar

 

Resenha elabora por: Carol 

Instagram @livros_e_leitura