0

LEITURAS SETEMBRO e OUTUBRO

Olá leitores!

Juntei dois meses e eis minhas últimas leituras.

No início do ano lancei o Projeto 100 Livros em um ano, já estamos quase no final do ano e ainda estou no livro 54. Espero acelerar o ritmo da leitura, para isso preciso abdicar de algumas redes sociais que sugam meu tempo. Mas vamos lá! Vamos ler!

 

LIVRO 48

 

O livro é delicioso. Repleto de imagens e curiosidades sobre os Beatles. Um capítulo muito interessante traz toda a discografia da banda. É uma breve biografia, não é aquele tipo de leitura monótona com muitos dados e blás blás blás, é objetivo, resumido e breve. Sou fã incondicional da Banda, amo todas as músicas e amei a leitura. Recomendo para todos os fãs da boa música, dos Beatles e da leitura.

LIVRO 49

Um livro que já estava na minha fila há bastante tempo. Sherlock Holmes é um dos personagens mais conhecidos da literatura mundial, sendo assim, fiquei muito curiosa em conhecer a história do detetive escrito por outro autor que não fosse Conan Doyle.

Trata-se de uma série sobre o jovem Sherlock Holmes, além deste (primeiro) a série tem mais três volumes.

O autor explica que sempre adorou os livros de Conan Doyle, porém ele sempre abordou Sherlock  já na idade adulta, sendo assim ele resolveu criar uma série que retratasse Sherlock com 14 anos de idade, que explicasse como tudo começou, os primeiros mistérios desvendados, etc.

O jovem Sherlock vai passar as férias com o tio, e lá conhece seu tutor, que seu irmão contratou. Gostei muito do personagem do tutor de Sherlock – Amyus Crowe – , é ele que instiga o jovem a deduzir os mistérios. Também gostei do amigo dele Matthew.

A narrativa é leve, feita na terceira pessoa,  não é muito profundo, os personagens são cativantes. Adorei o contexto histórico situado na Inglaterra, século XIX, sou fã de livros descritos nesta áurea.

Eu adorei o livro. Li muitas críticas de pessoas comparando com o Sherlock de Conan Doyle, porém, não há comparação, é outro autor, outro estilo, outro contexto.

O público alvo são os jovens, e concordo, acho uma leitura bastante interessante para jovens leitores, mas também para jovens de alma também, como eu..rsrsrss

Irei ler todos os livros da série.

“Você pode deduzir quanto quiser, mas dedução é inútil sem conhecimento. Sua mente é como uma roca a girar eterna e inutilmente, até que sejam introduzidas as fibras e ela passe a produzir os fios. A informação é a base de todo pensamento racional. Busque-a. Procure-a com assiduidade. Encha o depósito de sua mente com tantos fatos quantos couberem nele. Não tente distinguir entre fatos importantes e triviais: todos são potencialmente importantes.”

 

LIVRO 50

“Livrarias atraem o tipo certo de gente”

Sou fascinada por livros que abordam o tema: livrarias.   A. J. Fikry é dono de uma pequena livraria na ilha ‘Alice Island’,  e é no ambiente entre livros e leitura que tudo se desenvolve. O carrancudo livreiro é surpreendido por uma encomenda que irá mudar a sua vida. Um romance leve, com doses de humor e mistério. A história é simples, singela, sem nada avassalador, sem picos de emoção, apenas um enredo leve e delicioso.  O livro não é denso, é bem compacto. A leitura flui rápido.

Quem ama os livros irá encontrar muitos diálogos e citações interessantes.

“Sei não, Izzie. Tô te falando. Livrarias atraem o tipo certo de gente. Gente boa, que nem o A.J. e a Amelia. E eu gosto de conversar sobre livros com pessoas que gostam de conversar sobre livros. Gosto de papel. Gosto da textura e gosto de sentir um livro no bolso. Gosto do cheiro de livro novo também.”

“Posso prometer livros e conversas e todo o meu coração”

“As coisas que nos tocam aos vinte não são necessariamente as que nos tocam aos quarenta, e vice-versa. Isso é verdade para livros e para a vida. 

“Às vezes os livros só nos encontram no momento certo.”

 

LIVRO 51

 

 

O livro é desenvolvido em dois tempos: passado e presente.

A primeira parte do livro – o passado – narra a história da personagem Sophie Lefèvre, onde o pano de fundo é a Primeira Guerra mundial. Após o marido ter ido para a guerra Sophie retorna para a pequena cidade de St Péronne no interior da França, que sofre com a ocupação dos alemães, e se vê obrigada a tomar conta do Hotel da família, onde todo o enredo se desenvolve.

A segunda parte do livro – o presente – apresenta a história de Liv Halston, uma viúva que mora em uma belíssima casa de vidro que foi construída pelo seu falecido marido. As duas histórias se entrelaçam, e no meio do enredo os fios vão se desvendando e conectando. Gostei da maneira que a autora entrelaça as duas histórias, bem como o desfecho.

Sou suspeita pois adoro livros que são narrados tendo como tema a guerra mundial.  Algumas lições que são transmitidas na trama: sempre manter a perseverança e a fé.

Já li três livros da autora, gostei de todos, é uma autora que consegue prender minha atenção.

 

LIVRO 52

 

 

A promessa do livro é prender o leitor do início ao fim….mas não aconteceu comigo. A propaganda do livro é comparar o autor a Harlan Coben, por isso me interessei e comprei.

O personagem principal, Patrick,  está sendo vigiado por um motivo, e a partir daí toda a trama e consequências se desenvolvem.

Infelizmente não consegui finalizar ainda. Achei o enredo um pouco sem emoção, cansativo… Bom, muitos leitores gostaram, eu nem tanto.

 

LIVRO 53

Sou fã de Harlan Coben. Leio todos os livros. Pela capa o livro prometia ser o mais ambicioso e inteligente que o autor escreveu até hoje.

Os personagens principais são Jacob e Natalie. Eles se conhecem em um retiro e vivem um romance intenso. Inesperadamente Natalie rompe com Jacob e se casa com outro.

Após 6 anos Jacob descobre que o marido de Natalie faleceu, então suas esperanças se renovam e ele sai obstinadamente em busca de seu antigo amor. E então a trama se desenvolve e mistérios vão  sendo desvendados.

Tenho como parâmetro de comparação vários outros livros que já li do autor, e na minha opinião esse não foi um dos melhores. Não me empolguei muito. Mas continuarei lendo todos os títulos de Harlan Coben.

Dentre os meus preferidos do autor estão “Não Conte a Ninguém” e “Desaparecido Para Sempre”, estes sim, são sensacionais.

 

 LIVRO 53

 

Adoro as crônicas de Rubem Alves. Mais um livro delicioso do grande escritor. O livro é dividido em três partes: coisas que dão alegria, coisas do amor e coisas da alma.

 “O essencial é saber ver. Mas isso exige um estudo profundo, uma aprendizagem de desaprender. Procuro despir-me do que aprendi, procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram, e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos…” (Alberto Caeiro)

 

LIVRO 54

 

Tenho quase todos os livros da autora, adoro o estilo breve e intenso que ela escreve. Trata-se de uma coletânea das melhores crônicas da escritora que falam sobre amor-próprio, curtir a vida, família e outros afetos. Algumas crônicas eu já conhecia, outras ainda não. É o tipo de livro que leio em um fôlego só, pois as crônicas são breves, leves e não são cansativas.

 

 

 

Novembro chegou, e vou me dedicar ao máximo aos livros e leitura! Vamos LER!

 

Carol  😉

Anúncios